EW: Martin Gero fala sobre início da quarta temporada
Em sua quarta temporada, a história se inicia três meses depois de onde fomos deixados, onde Jane (Jaimie Alexander) acorda como seu alter-ego Remi, e a equipe não faz ideia desta nova personalidade muito menos que ela recobrou toda sua memória. "Toda vez que ela não se lembra necessariamente de nada, ela pode justificar como problemas de memória", destaca Martin Gero. "Ela tem um disfarce". Mas com Sandstorm desmantelada, Remi se revolta - e ela está mais perigosa por causa disso. "Ela está completamente infiltrada no FBI, então o que ela faz agora?", diz Gero. "No início da quarta temporada, ela está formulando um plano." Parece que depois de todo esse tempo, Jane continua sendo sua pior inimiga. Na entrevista realizada pela EW, confira o que Gero adinta sobre o que esperar da 4ª temporada. ENTERTAINMENT WEEKLY: Nós fomos deixados com aquele sorriso assustador da Remi. O que aquele sorriso significa? Ela vai ter que primeiro descobrir todos os segredos das pessoas ao redor dela para conseguir se enturmar?  MARTIN GERO: Sim, nós vamos começar o episódio cerca de três meses depois da última cena, quando ela meio que já sabe como é ser a Jane. E a coisa boa é que eles sabem que ela está tendo alguns problemas de memória, certo? O time no início dessa temporada ainda não percebeu. EW: Bom, sorte da Remi. MARTIN GERO: Sim, e eu acho que a Jane já é bem inabalável. Obviamente a pessoa que ela mais conseguiu ficar perto foi o Weller [Sullivan Stapleton]. E ela se esforça bastante para manter esse relacionamento. Mas no início da temporada, principalmente, ela tem se sentido muito sozinha porque ela tentou falar com pessoas que não existem mais. Ela queria falar com o Roman [Luke Mitchell], com o Oscar [François Arnaud] e com a mãe dela. E o Roman e o Oscar estão mortos e a mãe dela está numa prisão secreta, então o primeiro episódio explora ela tentando conseguir alguma ajuda. EW: Ninguém contou a ela sua missão ainda, certo? MARTIN GERO: Não, mas eu acho que ela sabe que a missão mudou. Não existe mais Sandstorm. Ela tá tentando descobrir "Então, o que eu faço? Eu tenho o que eu sempre quis, que é ter conseguido me infiltrar completamente no FBI, e como eu vou usar isso?" EW: E o envenenamento com ZIP? Você tem alguma coisa para falar sobre isso? MARTIN GERO: Ela não vai desmaiar, mas os efeitos colaterais do envenenamento com ZIP são bem piores do que imaginávamos. Isso é tudo que eu vou dizer. EW: Agora vamos falar sobre a Zapata [Audrey Esparza] e a Blake [Tori Anderson], como vai ser a dinâmica entre elas? Elas querem mudar o mundo — o que isso vai causar?  MARTIN GERO: Bom, eu acredito que ser a chefe da HCI Global é um cargo muito poderoso. Você poderia fazer muita coisa boa ou ruim nessa posição. E eu acho que a Zapata vê em Blake alguém que ela potencialmente pode manipular para fazer o que quer que a Zapata queira fazer com o mundo. Eu acredito que a Zapata está saindo da terceira temporada um pouco desiludida porque ela não se sentia em casa na CIA e não se sentia em casa no FBI. Ela estava começando a se sentir em casa com a CIA, e eles a ferraram completamente. Então eu acho que, para ela, Blake parecia uma pessoa razoável para falar e ver o que ela podia fazer. EW: E a Blake é facilmente manipulável? Ela perdeu o pai e depois atirou no namorado. Vai acontecer algum conflito entre elas ou vai estar tudo um mar de rosas quando assistirmos? MARTIN GERO: Não vai estar necessariamente um mar de rosas. Blake não é flor que se cheire, mas ela definitivamente não está acostumada a fazer grandes coisas. Roman é provavelmente a primeira pessoa que ela matou. EW: Falando em mortes, Weller não está morto, certo? MARTIN GERO: [Risos] Ele está vivo, gente! Weller sobreviveu! Mas novamente, parte da vantagem da Remi é o fato de que ele está por fora. Ele está se recuperando e quando voltamos três meses depois, ele ainda não está com o time. Ainda está fazendo fisioterapia, tentando voltar, então o mundo dele meio que mudou. A dinâmica de todo mundo está um pouco diferente. EW: Você disse antes que aquela não seria necessariamente a última vez que veríamos Luke Mitchell como Roman. Então o que devemos esperar dos "flashbacks" desse ano? Tem alguma coisa que você pode falar sobre o que vamos descobrir na temporada 4?  MARTIN GERO: Sim, eu mantenho o que disse. Aquela não era última vez que vocês veriam o Luke Mitchell. Vocês vão ver um pouco mais dele logo. EW: Para concluir, você tem um eventual fim em mente ou ainda é muito cedo para falar sobre isso? MARTIN GERO: É muito cedo para falar sobre isso. Eu acho que todos temos um final em mente. Eu acredito que a questão, para a gente, é tentar descobrir quando vai ser esse final. Não é nessa temporada. EW: Certo, o time precisa conseguir a Jane de volta primeiro.  MARTIN GERO: Exatamente. É uma temporada muito tumultuada e grande. EW: Algo mais para falar? MARTIN GERO: Eu acho que uma das coisas que eu tô mais animado é com o nível do show esse ano. Nós filmamos o primeiro episódio em Tóquio, Paris, Zurique e Nova Iorque, então é realmente gigante. Parece bem grande e é divertido poder levar o público pelo mundo e realmente conseguir fazer isso. A 4ª temporada de Blinsdpot estréia hoje (12) às 21h (horário de Brasília) na NBC (EUA). Links para acompanhar ao vivo serão postados em nossas redes sociais.

Publicidade

Calendário